segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Mensagem da semana com Pr. Eronildo Rodrigues - A SERIEDADE DO CASAMENTO AOS OLHOS DE DEUS


O casamento embora ainda continue bem presente na sociedade, mas tem sido desrespeitado de forma assustadora. As pessoas parecem que já entram no casamento para viver uma experiência puramente experimental, se der certo agente continua se houver dificuldades cada um busca seu rumo. Parece ser essa a filosofia adotada em relação a vida conjugal nos dias atuais. Associado a tudo isso vemos a falta de estrutura familiar que muitas pessoas são criadas se tornando adultos desequilibrados que entram num casamento sem ter idéia do que se trata e da seriedade do matrimônio aos olhos de Deus.

Surgem os problemas, as vezes de ordem financeira que nem sempre vem por causa do desemprego mas muitas vezes pela má administração dos recursos adquiridos. Brigas, palavras que ferem, falta de perdão, de renúncia, de investimento por ambos na relação. Para piorar a situação vem muitas vezes a traição, mais uma pessoa entra na relação terminando na maioria das vezes por acabar de destruir tudo.

O resultado disso é o número alarmante de divórcios e separações, pendências judiciais, pensão alimentícia, divisão de bens. Onde são divididos não só os bens materiais mais também o coração dos filhos que no meio de toda briga são as maiores vítimas da tragédia. Os pais se separam, mas existe divórcio dos filhos, que ficam as vezes sem saber o que fazer no meio dos escombros do lar, as vezes de tão pequenos que são nem conseguem entender o que está acontecendo, só choram e lamentam o ocorrido. As vezes ficando reservado para eles um destino amargo no meio de um segundo casamento dos pais. Muitos deles crescem com traumas absurdos e insuperáveis, tornando-se muitas vezes adultos problemáticos. Essas são apenas algumas feridas provocadas pelo divórcio que muitas vezes foi desencadeado por um adultério deixando mágoas profundas no cônjuge que foi vitimado.

Para que um casamento não acabe dessa forma o que precisamos observar:

À luz das Escrituras, o divórcio não é a solução divina para a crise do casamento. De fato, não existe casamento perfeito, sem crise, não há casamento sem problemas. Todo casamento exige renúncia e adaptação. Nenhum casamento sobrevive sem perdão e restauração. Mas casamento não é uma união experimental. A aliança conjugal não termina quando as crises chegam. Só há uma cláusula de exceção para o divórcio nas Escrituras: a infidelidade conjugal.

Mt 19.9 Mas eu vos digo que aquele que se divorciar de sua mulher, a não ser por causa de infidelidade, e se casar com outra, comete adultério e quem casar com a divorciada comete adultério.

E ainda assim esse casal não pode descartar a possibilidade de reconciliação. Pode ser ainda o melhor caminho. Mais divórcio, separação por quaisquer motivos que não seja infidelidade conjugal não libera a pessoa para um segundo casamento, se isto acontecer, segundo Jesus essa união para Deus é considerada adultério. Veja a seriedade que é o casamento para Deus.

Fora do casamento o sexo é pecado, é maligno e destruidor aos olhos de Deus:

Hebreus 13. 4 Digno de honra seja entre todos o matrimônio e o leito sem mácula; porém, aos que se dão à prostituição, e aos adúlteros, Deus os julgará.

Deus tem a solução para o casamento em crise:


Um casamento equilibrado resulta em famílias, igrejas e sociedade saudáveis. Por isso é importante todo esforço possível para restauração de um casamento. A solução para o casamento e para a família não está nos modelos falidos da sociedade pós-moderna, mas na Palavra de Deus. O mesmo Deus que instituiu o casamento tem a solução para os casamentos em crise. Somente Deus pode curar relações quebradas, trazendo esperança onde os sonhos já morreram; Trazendo vida onde as sombras da morte já escurecem os horizontes; trazendo cura e restauração onde as feridas estão cada vez mais doloridas.

0 mesmo Deus que criou o casamento tem solução para ele. Deus é o criador, sustentador e restaurador do casamento. Quando Ele reina no casamento, o divórcio não tem espaço.

Mateus 19. 5 E disse: Portanto, deixará o homem pai e mãe, e se unirá a sua mulher, e serão dois numa só carne? 6 Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto, o que Deus ajuntou não o separe o homem.

Pr. Eronildo Rodrigues.


* Para você que não acompanhou as edições anteriores, basta Clicar Aqui para conferi-las.

Sobre o Colunista:


Eronildo Rodrigues
Cursou Teologia no Seminário Teológico Batista do Ceará.
Atualmente é pastor da Primeira Igreja Batista em Groaíras.

Nenhum comentário:

Postar um comentário